Economia e desigualdade social – os fins pelos meios

por Tony Monti

Nas últimas semanas, surgiram vários textos na imprensa anunciando e comentando uma nova descoberta da economia: o fato de que a desigualdade social não alimenta, mas atrapalha o crescimento econômico. Entre os artigos, por exemplo, textos de Clovis Rossi e Paul Krugman, ambos na Folha de S. Paulo.

Historicamente, a tradição capitalista imaginava e defendia que certo grau (às vezes um alto grau) de desigualdade é necessário para que a economia gire com mais vontade. Agora, no entanto, os dados dizem que a desigualdade pode gerar atrito nas engrenagens.

A princípio parece uma vitória para os que se preocupam com o bem estar social de todos, não só com o dos mais ricos. E talvez seja mesmo, na prática, uma vitória, na medida em que passa a existir, assim, um argumento a favor das políticas de promoção de igualdade, para convencer também aqueles que se preocupam mais com o PIB, ou seja, com os grandes números, do que com o dia a dia de cada um.

Acho curioso, no entanto, que os textos que li sobre o assunto não se atenham a uma inversão possível entre meios e fins. Não se cogita que talvez haja um raciocínio alternativo em que a gente tenta manipular a economia a fim de que as condições sociais melhorem, e não o inverso. Os textos partem do pressuposto de que uma produtividade azeitada é desejável, e que o parâmetro ajustável é a desigualdade social.

Ainda que aumentar a produção total de uma economia seja, a princípio, positivo, não me agrada pensar que os destinos concretos de grande parte das pessoas sejam reféns de uma abstração, um número, uma ideia.

Muitas vezes, discutimos um tema e esquecemos os pontos de vista pressupostos. As verdades discursivas circulam também assim. Elas se espalham nos porões de uma ideia. A ideia expressa torna-se, na verdade, um escudo.

Na adolescência, como armadilha perguntávamos se o Fabio Jr. era melhor cantor ou ator, com a intenção de que o interlocutor escolhesse uma das alternativas, sem poder negar ambas ao mesmo tempo. Enquanto se discute a superfície, uma verdade inventada circula intacta.

links:
Paul Krugman – http://www1.folha.uol.com.br/colunas/paulkrugman/2014/08/1497568-a-desigualdade-atrapalha.shtml
Clovis Rossi – http://www1.folha.uol.com.br/colunas/clovisrossi/2014/08/1498337-desigualdade-trava-a-economia.shtml

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s